Como descomplicar o encontro entre irmãos.

O Encontro de Clara e Mateus!

 

A Clara teve uma reação linda no encontro com o novo irmãozinho, sempre com cuidado e atenção, para ele só carinho. Isso foi surpreendente para mim!

Mesmo na barriga começamos um trabalho com ela para tentar amenizar os possíveis problemas que todo mundo relatava sobre a chegada do segundo filho.

 

Tive uma gravidez bem complicada, engravidei depois de ter tratado um carcinoma “in situ” no canal uterino com uma conização e, por isso precisei fazer um outro procedimento chamado de cerclagem uterina, que consiste em fechar o colo do útero permitindo assim que o bebê continue se desenvolvendo. Tudo isso limitou muito minhas ações em relação ao cuidado com a Clarinha… Não podia pega-la no colo, carregar pra cima e pra baixo como eu fazia e, precisei passar mais de 15 dias longe, em repouso absoluto na maternidade. Ela foi levada para casa da minha sogra em Santos e nos falávamos pelo skype!

 

Quando nos falávamos ela sempre perguntava quando o irmão nasceria para eu poder voltar a ser mãe dela, também! Ela não falava isso com raiva, mas me cortava o coração, ver a minha menininha sentindo a minha falta e associando a chegada do irmão, Ao menos ela achava que quando ele chegasse tudo voltaria ao “normal”.

 

Então, Marcelo e eu, achamos que seria bom ter alguma orientação de como agir e como fazer desse momento o melhor possível para todos nós.

Quando Clara veio no hospital conhecer o Mateus, compramos um presente para ela e dissemos que ele que tinha trazido, combinamos, seguindo a orientação da Pediatra, que ela ao chegar na maternidade fosse levada direto para conhecer o irmãozinho no berçário e que ela iria trazê-lo no quarto para me encontrar, para que a gente não corresse o risco dela chegar e de pronto ja encontrar o “intruso” no colo da mãe!

 

E foi assim que aconteceu! Como ela estava gripadinha, inventamos uma festa da máscara e todos nós colocamos aquelas máscaras hospitalares! Ela logo quis pegar no irmão e foi muito emocionante vê-la toda jeitosa e com muito cuidado segurando o Mateus! O sorriso dela por baixo da máscara era radiante e os olhinhos brilhavam de alegria e ternura!

E depois desse dia, foi muito fácil reequilibrar o amor e o cuidado.

Em alguns momentos ela me requisitava, bem na hora em que eu o estava amamentando.

Durante os primeiros dias em casa tinha minha mãe, minha sogra e o Marcelo que tirou uns dias de férias para acompanhar tudo.

Na hora de dormir, ela só queria que eu a colocasse na cama e contasse uma historinha inventada, e eu resolvi que iria ter tranquilidade para lidar com tudo isso, que não adiantava argumentar muito e oferecer outros colos. Eu colocava um colchãozinho nos meus pés, ela se deitava e eu alisava suas costinhas com meu pé, enquanto amamentava o Mateus e inventava histórias! Ela dormia feliz em minutos…

Não tem coisa melhor do que esse amor entre irmãos, me emociono até hoje quando me lembro destes momentos.

Espero que a minha experiência ajude a descomplicar a sua.

Beijos.

Fabíola Holanda do blog Ciranda de mãe

 

 




Deixe uma resposta

Your email address will not be published. Required fields are marked *