Desfralde, como descomplicar?

O processo de desfralde pode ser, muitas vezes, frustrante. Entender os sinais é um bom começo.

Como mães sabemos que o processo de desfralde pode ser mais tranquilo para algumas crianças e mais conflitante para outras. Para meu filho foi conflitante, ele dava sinais de estar pronto, mas bastou tirar a fralda para que desenvolvesse prisão de ventre.

Voltamos à fralda e não tinha pressa para desfraldá-lo. Porém, sempre que ouvia uma cobrança ou comentário a respeito, voltava a travar o intestino. Percebi que para ele o processo não seria tão simples e contratei uma psicóloga especialista em desenvolvimento infantil para nos auxiliar. A Juliana Reis Romano (@psicotiaju).

As técnicas que irei mencionar funcionaram com Pedro e, creio que poderão descomplicar ai na sua casa. Vamos lá?

De inicio é importante brincar com conceitos como prender e soltar. Pode ser uma massinha de modelar, por exemplo. Assim, a criança percebe que possui a capacidade de prender e soltar e isso pode ser para o xixi e cocô também.

Diga ao seu filho que só crianças, moça ou moço usam no vaso/penico. Bebê usa fraldas. Que ser criança, moça ou moço é muito mais vantajoso que ser bebê. Lógico que só com conversa você não irá convencê-lo a usar o vaso, mas você irá incentivá-lo com brinquedos e/ou passeios.

Pedro queria muito uma fantasia do Batman. Dizíamos a ele que só criança poderia usar e criança é quem faz xixi e cocô no vaso. Que não tinha problema ele usar fraldas, mas não poderia usar a fantasia do Batman. Que ele decidia se queria ser criança ou não.

Em cada sessão a tia Ju trazia dois brinquedos. Um de bebê e outro de criança (mais chamativo/interessante). Ela pedia ao Pedro qual ele queria brincar. Ele sempre respondia o de criança e ela “lia” no brinquedo que só criança poderia usar. Lamentávamos o fato dele não ser criança para poder brincar e brincávamos com o brinquedo de bebê.

Ele adora assistir Dora Aventureira, Patrulha Canina e Miss Moon e esses desenhos também só criança poderiam assistir. No inicio ele pareceu não se importar, mas passando alguns dias ele começou a desejar ser criança.

Paralelo a esse trabalho dizíamos que o cocô e xixi adoram mergulhar. Que são felizes quando entram no vaso. E que os dele eram tristes por estar presos na fralda.

Usamos essa musiquinha dos @grandespequeninos porque ela “grudam” na mente. Segue o link: https://youtu.be/SMmtuoKEmmQ

Compramos cuecas novas e claro só criança usa cueca. Todos os dias, quando trocava a fralda, eu perguntava a ele se queria ser bebê ou criança. Até que um dia ele respondeu que queria ser criança! Neste dia reforcei que criança era quem fazia xixi e cocô no vaso e coloquei a cueca nele.

Xixi foi super tranquilo e praticamente não tivemos escapes. Já o cocô demorou um pouco mais. Ele dizia orgulhoso que era criança, pois não usava fraldas. Nós dizíamos que ele era criançinha, porque criança é quem faz xixi e cocô no vaso. Criançinha faz xixi no vaso e cocô na cueca. A repetição é muiiiito importante no processo!

Para auxiliá-lo a tia Ju fazia quadros de conquistas. Com bebê, criançinha e criança. Fazendo as necessidades no lugar certo ganhava estrelinhas e tantas estrelas davam direito a um passeio/brinquedo. No total o processo durou 4 meses, mas o desfralde aconteceu de maneira natural e no tempo dele. Somente usamos as técnicas citadas acima.

Para descomplicar o desfralde incentive seu filho querer abandonar as fraldas! Eles sempre desejam algum brinquedo e/ou passeio. Na páscoa, Pedro queria um ovo do homem aranha. Fomos ao mercado e “li” no ovo que só crianças poderiam ganhar. Ele ainda fazia cocô na cueca. Faltando 3 dias para páscoa coloquei como meta: vire criança e ganhará o ovo! Adivinhem? Usou o vaso!

A tia Ju desenvolveu um kit desfralde com quadrinho de conquista e dará suporte online para quem adquirir. Maiores informações no insta @psicotiaju ou face: www.facebook.com/psicotiaju.

Pedro desejou tanto ser criança que não aceitava fraldas nem para dormir. Precisei fazer o desfralde diurno e noturno de forma conjunta. Afinal, criança é quem faz xixi e cocô no vaso!!

Ressalto que essas técnicas foram trabalhadas durante processo terapêutico, mas acredito que você também poderá utilizá-las. Sempre de forma natural e sem pressa para os resultados!

Com amor,

Fabi Fontanha. (@mamaepratica)

 

 




Deixe uma resposta

Your email address will not be published. Required fields are marked *