Desfralde: Qual o momento certo?

Nathália Pironato. @vidademamaearquiteta

Hoje, trago um assunto delicado que merece uma atenção especial que é sobre o DESFRALDE.

Eu, Nathália, acredito que cada criança tem o seu tempo, embora há aquela ansiedade quando chega-se aos 2 anos, a busca de sinais ou identificação deles, ainda mais quando a criança está na escola e tem-se como plano, na maioria delas, de desfraldar em conjunto com os pais no Grupo 2.
Por aqui, o Luís Octávio nos deu sinais com 1 ano e 10 meses, mas não havia o interesse em querer ir para o ‘penico’ ou redutor de assento, como mãe de primeira viagem, eu já estava com tudo pronto – comprei com o enxoval todos os itens (risos), com esses alertas, deixei no banheiro – como quem não queria nada – já que, como na maioria das famílias, somos acompanhadas até neste momento, eu perguntava se ele queria, caso afirmativo, eu tirava a fralda e ele sentava, mas não fazia nada. Fui levando… sem forçar. Ainda que ele deu seus primeiros sinais no início do inverno e sempre é mais indicado iniciar no verão, daí ficamos confusos em tentar seguir ou não mediante as orientações.
O desfralde da criança é um momento muito delicado para nós pais também, é fundamental avaliar o momento exato para que não haja problemas e frustrações de ambos os lados. Além, do pediatra dele nos orientar, vale salientar que se o desfralde é feito em um momento inadequado, ele pode: “gerar transtornos psicológicos e emocionais, como insegurança, ansiedade, choro intenso, ou problemas clínicos, como infecções urinárias, prisão de ventre, medo de evacuar ou a chamada enurese noturna, quando a criança tem mais de cinco anos e ainda faz xixi na cama diariamente ou mais de uma vez por noite”.

Com os dias passando, chegamos nos 2 anos e 2 meses e percebemos que a fralda noturna estava seca pela manhã, podendo ser outro fator que alertasse o desfralde, até que começamos encontrar a fralda caída no chão e ele sem na cama. Passei a monitorar a noite só com a cueca e… de repente, em alguns dias, lá estava feito o desfralde noturno, quase no inverno, para o nosso espanto.
Ainda faltava o diurno, confesso que estava aflita e insegura, comprei um ‘Potty Training 3 em 1’ importado, com escadinha para ver se ficava mais convidativo – táticas de mãe (risos) – para a nossa surpresa, ele, que continuava a me acompanhar ao banheiro, começou a avisar o que queria fazer, tirava a fralda sozinho – o senhor independência! (risos) – e em menos de 15 dias tínhamos o desfralde diurno concluído com sucesso também. Procurava utilizar de roupas práticas caso tivesse algum ‘acidente’, acredito que tivemos dois escapes de xixi no caminho do banheiro e nenhum de coco! Ufa!

As três fases que o produto possibilita desde o início do desfralde – quando comprei, foi pelo eBay, hoje temos o da marca LOVE aqui no Brasil ou os que são somente com escadinha. Via Mercado Livre.

Então, vale a listinha da pediatra com as dicas, resumindo as explicações, abaixo:
– Repare se a criança se queixa quando está com a fralda suja e se avisa quando vai fazer necessidades – é um indício para o começo do desfralde. ->  observar estes momentos e analisar junto aos outros sinais!
Dê início ao desfralde no período diurno, tirando a fralda noturna apenas quando perceber que a criança acorda quase sempre seca. Diminua a ingestão de líquidos e a leve ao banheiro antes de dormir. -> se após muitos dias acordar com a fralda seca, é um sinal!
Pergunte, de hora em hora, se a criança quer ir ao banheiro. Vai chegar um momento em que ela mesma avisará quando precisar. -> procurar sempre uma periodicidade!

Encoraje e comemore o sucesso e a iniciativa da criança. -> vibre com ela, é uma conquista, facilita muito o processo este tipo de incentivo!
– Tenha paciência. O tempo de desfralde varia entre poucos dias ou mais de um mês. Em caso de escapadas, não brigue. Protetores impermeáveis de colchão ajudam a mantê-los secos e conservados durante a noite.
-> quando tiver escape, tentar não mostrar desapontamento, peça para a criança ir ajudar, fazendo da limpeza, algo que pode acontecer e que não tem problema nenhum!
– O processo deve ser divertido. Vale brincar com bonequinhos, cantar musiquinhas ou decorar o penico com adesivos.
-> a ideia de utilizar de painéis para colagem divertida de cada xixi e cada coco feito, pode ser  algo a se pensar para deixar o momento mais natural e divertido!

Mural das Conquistas em imã, por BBDU. Via BBDU.

Prefira penico ou adaptador de assento com apoio para os pés, favorecendo, assim, a prensa abdominal – posição que estimula a evacuação. -> escolhi este modelo com a escada, pois inclina a posição das pernas e faz o ângulo mais perto do ideal para a melhor evacuação.
– Para as crianças mais independentes, que querem fazer as tarefas sozinhas, ensine-as a dar descarga, mas fique atento à higiene para evitar possíveis infecções, principalmente, nas meninas. -> sempre fazer o circuito de fazer o xixi/coco, limpeza (de frente para trás nas meninas e nos meninos, enxugar a pontinha do ‘pipi’), dar ‘tchau’, abaixar a tampa, dar descarga e depois lavar/enxugar as mãos!
– Utilize calcinhas e cuecas sempre de algodão e mais largas, que facilitam a criança a retirá-la sozinha. -> as mais confortáveis possível e vale também a ideia de ter as calcinhas ou cuecas de treinamento nesta fase!

Cueca de treinamento, da Green Sprouts. Via Lojas Americanas.

– Envolva todos que convivem com a criança – seja em casa ou na escola – para dar maior segurança no processo. -> é importante este envolvimento conjunto!
E por último, mas de extrema importância, é não realizar o processo de desfralde em situações marcantes na vida da criança, como o nascimento de um irmão ou irmã, separação dos pais ou mudança de casa ou de escola.
Abaixo selecionei alguns produtos disponíveis no mercado:

Mictório Sapinho Via Mercado Livre
Outras opções de penicos/redutores que estão no mercado. Via Blog RoLú.

Como comentei nossa experiência acima, por aqui foi super no tempo do pequeno, sem pressão, ansiedade – leve rs – e… rápido demais! Brincamos que não sabemos o que é esta fase, pois ele, praticamente, fez tudo sozinho e que agora estamos ansiosos para saber como vai ser com a Ana Júlia, já que ela diz quando tem xixi ou coco desde 1 ano e 2 meses, mas nem se interessa em ir para o ‘penico’, só quer saber de tirar a fralda nestes últimos tempos e tem acordado sequinha.
Espero que ajude a diminuir a ansiedade e tornar disso, uma experiência incrível!
Com carinho,
Ná Pironato.




Deixe uma resposta

Your email address will not be published. Required fields are marked *