Empreendedorismo individual: Como conseguir crescer na crise?

Momentos complicados são uma ótima oportunidade para começar o próprio negócio e prosperar

Uma das saídas em tempos de crise e mesmo de amadurecimento profissional é começar o seu próprio negócio, sem interferência de terceiros muitas vezes apenas prejudicial. Já sabe que chegou a hora de entrar no mundo do empreendedorismo, mas bateu a dúvida do que fazer agora? Relaxe, essa sensação é comum. Vamos listar algumas questões para organizar suas ideias.

Primeiro, está claro o que é o empreendedorismo individual?

Basicamente, como a própria expressão indica, empreendedorismo individual é abrir uma empresa por conta própria, sozinho e sem sócios, mantendo essa condição ainda que contrate funcionários.

Desde 2008, quando foi publicada a lei que previa a abertura de um negócio como microempreendedor individual (MEI), vários brasileiros seguiram por esse caminho. Hoje, segundo informações do Portal do Empreendedor, há quase 7 milhões de MEIs formalizados.

Empreendedor é aquele que tem no negócio próprio um projeto, seja fruto de um sonho, de uma oportunidade ou de uma necessidade.

Empreendedorismo individual não é só abrir a empresa e ter um CNPJ. Além disso, não é formado apenas por quem se formaliza como MEI. Também se encaixam nessa categoria quem registra um negócio como Empresário Individual (EI) ou como Empresa Individual de Responsabilidade Limitada (Eireli).

Cada natureza jurídica tem sua peculiaridade. Enquanto o MEI se limita pelo faturamento máximo de R$ 60 mil no ano, o EI responde como pessoa física pelas dívidas da jurídica, e a Eireli se caracteriza pelo capital social (poder financeiro) de 100 vezes o salário mínimo.

Por que a crise impulsiona o crescimento do empreendedorismo individual?

Segundo o mais recente número divulgado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o país soma mais de 13 milhões de desempregados – é mais da metade do previsto pela ONU para toda a América Latina em 2017.
Os motivos que levam ao desemprego são vários. Entretanto, a crise tem contribuído para o crescimento do empreendedorismo individual.

Para aqueles que têm um projeto empreendedor guardado na gaveta, a crise pode se transformar na oportunidade perfeita para lançar a ideia. Segundo o Sebrae, 2017 seria o ano de aproveitar a crise e divulgou a lista de negócios promissores.

Por outro lado, há quem veja na abertura de uma empresa a única saída possível para gerar renda, dado o avanço do desemprego e a dificuldade em voltar ao mercado. Seja no empreendedorismo por necessidade ou por oportunidade, a única certeza é que ambos estão muito presentes em tempos de crise.

Como conseguir crescer na crise?

Colocar em prática uma ideia de negócio que vai se aplicar bem no mercado atual – viabilidade do projeto – e atender os desejos dos clientes.

Crescer na crise exige poder de negociação nas duas pontas, tanto a empresa, quanto os clientes, que buscam preços baixos e condições de pagamento facilitadas. Não adianta esticar o prazo para os clientes se isso não foi concedido pelo fornecedor, é necessário um equilíbrio.

E nunca é demais lembrar que a crise e seus juros altos representam o pior dos cenários para se lançar ao mercado buscando crédito para a sua empresa.

O que mantém uma empresa é o caixa. Diante disso é necessário se dedicar à gestão financeira, ter controle total sobre o dinheiro que sai e o dinheiro que entra. Para um bom começo, vale experimentar uma planilha de fluxo de caixa, para registrar todas as receitas e despesas, não importa qual seja o valor delas.

5 vantagens do empreendedorismo em tempo de crise

1. As lacunas do mercado são mais claras

Quando a crise está instalada, se torna mais fácil ao empreendedor identificar um setor de mercado a ser atendido

2. Há menos concorrentes

A crise costuma ser um sinônimo de adiar projetos e abertura de empresas. Mas, tendo um bom planejamento, por que não agarrar as oportunidades?

3. Condições mais favoráveis junto aos fornecedores

Com a crise, há uma redução no consumo e nos negócios. Ao mesmo tempo, o mercado está de braços abertos àqueles que têm dinheiro e motivação para usá-lo.

4. Todo começo é difícil

Começar uma empresa é difícil, principalmente na fase inicial. Quem está preparado, a crise não deve oferecer nenhum obstáculo maior do que aqueles já esperados. É bom ter calma, tudo ao seu tempo.

5. A crise vai passar

As crises vão e vêm, fazem parte de um ciclo e NÃO são permanentes. Mas o aprendizado fica e é enriquecedor, tornando o empreendedor com uma maior capacidade de encarar o mercado.

4 grandes conselhos para empreender na crise

1. Apostar na criatividade e na inovação

“Empreender é se jogar de um precipício e construir um avião durante a queda.” – Reid Hoffman

2. Fazer da crise uma oportunidade

“Eu tive todas as desvantagens necessárias para o sucesso.” – Larry Ellison

3. Não contaminar pelos pensamentos negativos

“Quando tudo parecer estar contra você, lembre-se que o avião decola contra o vento, não com a ajuda dele.” – Henry Ford

4. É preciso arriscar

“O maior risco é não correr nenhum risco. Em um mundo que está mudando rapidamente, a única estratégia que certamente vai falhar é não correr riscos.” – Mark Zuckerberg

Matéria retirada do site: www.soubh.com.br




Deixe uma resposta

Your email address will not be published. Required fields are marked *